Skip to main content
Faturamento Limite Mei

Faturamento Limite do Mei

O Faturamento Limite do Mei é um regulador para enquadrar os trabalhadores informais dentro do Simples Nacional. A Lei Complementar nº 128, de 19/12/2008, concedeu condições para que o trabalhador informal possa se tornar um Mei legalizado enquadrado no Simples Nacional , dessa forma ficará isento dos tributos federais (Imposto de Renda, PIS, Cofins, IPI e CSLL) e ainda contará com diversas vantagens.

O Faturamento Limite do Mei é de R$ 60.000,00 anual e ao estourar esse limite o MEI passará à condição de MICROEMPRESA. De acordo com o Portal do Empreendedor Individual ao ultrapassar o limite o Mei tem algumas opções:

1º) Se o faturamento foi maior que R$ 60.000,00, porém não ultrapassou R$ 72.000,00 (menor que 20% de R$ 60.000,00), o MEI deverá recolher os DAS na condição de MEI até o mês de dezembro e recolher um DAS complementar, pelo excesso de faturamento, no vencimento estipulado para o pagamento dos tributos abrangidos no Simples Nacional relativo ao mês de janeiro do ano subsequente (em regra geral no dia 20 de fevereiro). Este DAS será gerado quando da transmissão da Declaração Anual do MEI (DASN-SIMEI).
A partir do mês de janeiro, passa a recolher o imposto SIMPLES NACIONAL como MICROEMPRESA, com percentuais iniciais de 4%, 4,5% ou 6% sobre o faturamento do mês, conforme as atividades econômicas exercidas – Comércio, Indústria e/ou Serviços – (item, 1, alínea “a”, do Inciso II, do §º2º, do artigo 105 da Resolução do CGSN nº 94/2011).

2ª) Se o faturamento foi superior a R$ 72.000,00 (maior que 20% de R$ 60.000,00), e inferior ao limite de opção/permanência no Simples Nacional (R$ 3.600.000,00), o MEI passa à condição de MICROEMPRESA (se o faturamento foi de até R$ 360.000,00) ou de EMPRESA DE PEQUENO PORTE (caso o faturamento seja entre R$ 360.000,00 a R$ 3.600.000,00), retroativo ao mês janeiro ou ao mês da inscrição (formalização), caso o excesso da receita bruta tenha ocorrido durante o próprio ano-calendário da formalização, passa a recolher os tributos devidos na forma do SIMPLES NACIONAL com percentuais iniciais de 4%, 4,5% ou 6% sobre o faturamento, conforme as atividades econômicas exercidas – Comércio, Indústria e/ou Serviços.

Exemplo: Se ultrapassou os R$ 72.000,00, em julho, e não ultrapassou R$ 360.000,00, passará a condição de Microempresa, retroagindo ao mês de janeiro. (item, 2, alínea “a”, do Inciso II, do §º2º e §8º do artigo 105 e da Resolução do CGSN nº 94/2011)

Nas duas situações acima, o MEI deverá solicitar obrigatoriamente o desenquadramento como MEI no Portal do Simples Nacional no site da Receita Federal do Brasil (Artigo 105 da Resolução do CGSN nº 94/2011).

Novo Faturamento Limite do Mei 2018

A partir de 2018 o Microempreendedor Individual (MEI), terá um novo teto de enquadramento passando de R$ 60 mil para R$ 81 mil anuais. Com as mudanças, um número maior de empresas pode optar pelo regime simplificado de recolhimento de impostos.